Kristallnacht    9 - 10 novembro de 1938

press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom

     Kristallnacht é o nome dado aos atos de violência que ocorreram na noite de 9 para 10 de novembro de 1938 em diversos locais da Alemanha e da Áustria, então sob o domínio nazi. Tratou-se de pogroms, com a destruição de sinagogas, lojas, habitações e de agressões contra as pessoas identificadas como judiasPara o regime foi a resposta ao assassinato de Ernst vom Rath, um diplomata alemão em Paris, por Herschel Grynszpan, um judeu polaco, condenado múltiplas vezes a deportação da França.

  A pedido de Adolf HitlerGoebbels instiga os dirigentes do NSDAP e os SA a atacarem os judeus. Heydrich organiza os ataques violentos que deviam visar as lojas de judeus e as sinagogas. Numa única noite, 91 judeus foram mortos e cerca de 25.000 a 30.000 foram presos e levados para campos de concentração. 7500 lojas judaicas e 267 sinagogas foram reduzidas a escombros.

      As ordens determinavam que os SA deviam estar vestidos à paisana, a fim que o movimento parecesse ser um movimento espontâneo de uma população furiosa contra os judeus. A alta autoridade nazi cobrou uma multa aos judeus de um bilhão de marcos pelas desordens e prejuízos dos quais eles foram as vítimas.

    O nome Kristallnacht deriva dos vidros partidos (vitrinas das lojas, vitrais das sinagogas, entre outros) resultantes deste episódio de violência racista.